Sinop: 600 quilos de peixes mortos são recolhidos no rio Teles Pires

Moradores da zona rural voltaram a denunciar a mortandade de peixes, nas proximidades da comunidade 12 de Outubro, no Córrego Luanda e parte no rio Teles Pires. Foi gravado vídeo mostrando uma quantidade, de várias espécies, sendo empurrada pelas águas, alguns ainda se debatendo tentando sobreviver. Os peixes começaram a morrer entre sábado e domingo e foram recolhido pelos funcionários entre segunda e terça-feiras.
Uma das moradoras da região disse que funcionários da usina hidrelétrica estariam recolhendo os peixes mortos em pelo menos três barcos. Ângela Regina Frans, que mora em um sítio na região, disse ao SBT Comunidade que “no assentamento já tem, desde segunda-feira, relatos dos vizinhos apontando que os peixes estão morrendo”. No lago há um oxigenador trabalhando, entretanto, ainda não é possível afirmar se a mortandade é por falta de oxigênio.
Segundo o presidente da Usina Hidrelétrica Sinop no rio Teles Pires, Ricardo Padilha, foram recolhidos cerca de 600 quilos de peixes mortos. Representantes da secretaria de Meio Ambiente (Sema) e da unidade em Sinop estiveram hoje, recolhendo material para apurar as causas da morte dos peixes. Além disso haverá investigação paralela, feita pela empresa, e que se trata de um fato isolado que pode ter sido provocado por vários fatores como químicos e biológicos que podem ocorrer em torno de seis meses após o enchimento do lago da usina, que foi feito há cerca de 4 meses. “Vários fatores podem ter provocado a morte. Os fiscais constataram queimada às margens do rio e cinzas podem ter caído na água. Ribeirinhos jogam grande quantidade de soja, durante a pesca, o que pode ter envenenado. São vários os fatores que podem ter provocado e será apontado em relatório. Isso é um fato que merece ser explicado”. Ainda segundo o presidente, os peixes foram recolhidos pelos funcionários, procedimento normal nesta situação, e descartado em um aterro.
Em fevereiro, a secretaria estadual de Meio Ambiente informou autuou a Companhia Energética de Sinop em R$ 50 milhões por causar poluição com sedimentos aprisionados na bacia de dissipação da Usina Hidrelétrica Sinop no rio Teles Pires, quando houve abertura das comportas, resultando na morte de 13 toneladas de peixes de diversas espécies. A SEMA informou, anteriormente que levou em consideração a “gravidade dos fatos, uma vez que o rio Teles Pires possui grande importância para a região Norte, é fonte de renda para diversas famílias que sobrevivem da pesca profissional, além de servir de opção de lazer para os moradores da região. Os autos também levaram em consideração a condição econômica do infrator, uma vez que os investimentos no empreendimento são estimados em mais de R$ 3,2 bilhões”.

 

 

Só Notícias/David Murba (fotos: reprodução)
Você pode gostar também