Na Itália, desaparecimento de menino e morte da mãe intrigam população local

No dia 3 de agosto, a DJ Viviana Parisi e seu filho Gioele saíram de carro na rodovia que liga Messina a Palermo, para irem ao shopping Milazzo, conforme contou o marido Danielle Mondello. Após não retornarem, eles foram dados como desaparecidos. O marido chegou a gravar um vídeo pedindo que a mulher retornasse para casa.
Mas foi só no dia 8 deste mês, que o corpo de Viviana foi encontrado em uma região de mata na província de Messina por cães farejadores. Segundo a perícia, ele já estava em avançado estado de decomposição com feridas e fraturas. Contudo, o paradeiro de Gioele, de apenas 4 anos, continua um mistério.
De acordo com o jornal italiano Corriere de La Sera, a polícia trabalha com várias hipóteses como assassinato, sequestro, e até mesmo suicídio. Agora eles analisam imagens de uma câmera de segurança que pode dar pistas sobre o que teria acontecido com a mãe e o filho.
O shopping Milazzo ao qual Viviana teria dito que ia comprar um par de sapatos fica somente a 20km da casa da família, da cidade de Venetico. Mas o carro foi encontrado 104 km depois, em Messina, abandonado após um acidente.
O último registro que se tem dos dois foram registrados em câmeras de segurança, onde apenas é possível ver que uma criança está na cadeira de segurança no carro. Para a polícia, o caso também pode ter sido um homicídio seguido de suicídio.
A mídia local também conta que uma ligação para a emergência, no número 112, teria sido feita naquele dia para reportar um acidente entre um carro e uma van, e que havia uma vítima mulher e uma criança.
O registro que a polícia analisa agora pode explicar o que aconteceu depois o carro passou pelo pedágio da rodovia Palermo-Messina, em Sant’ Agata.
Problemas psicológicos
O marido de Viviana afirmou para a imprensa local que ela havia passado por um quadro de depressão, agravado com o início da pandemia do coronavírus. Segundo Mondello, ela sentia muito medo de se contaminar ou que alguém da família ficasse doente.
Ele conta ainda, que o medo dela era tão grande que ela passou a rezar a bíblia em voz alta. O marido ressalta também que ela já estava bem melhor, e que duvida que ela tenha se suicidado, já que seu corpo estava próximo de uma torre de alta tensão.
Mondello conta que ela era uma mãe muito atenciosa, e não acredita que ela possa ter feito mal à criança.
Você pode gostar também