Ex-dançarinas do ‘É o Tchan’ contam benefícios da dança

Se na época do É O Tchan a dança era o ganha pão de Scheila Carvalho e Sheila Mello, hoje as ex-bailarinas seguem praticando a atividade, porém, por outros motivos.
Na última semana, as duas participaram de um aulão de axé, promovido pela Foreo, em São Paulo, no qual, além de matar a saudade dos fãs com coreografias que marcaram época, ainda falaram sobre o papel da dança na vida delas hoje, mais de dez anos longe do grupo baiano.
“A dança traz um bem estar inexplicável. Eu costumo falar que eu me expresso melhor dançando do que até mesmo falando. A dança faz você flutuar, você sai do corpo, é coisa de alma”, diz Carvalho.
Mello confirma as palavras da ex-companheira e vai além: segundo ela, a atividade significa uma reconexão com o corpo. “Hoje em dia, as pessoas estão perdendo a conexão com seus corpos, com a questão das redes sociais etc. Então, quando você está dançando, você está em contato com o seu corpo. Você consegue ‘voltar para você'”, diz. “Eu posso falar mil benefícios, inclusive hormonais, mas acho que o mal da sociedade é essa desconexão. E é onde a dança entra”.
A loira do Tchan ainda cita “manter o físico, bem estar, disposição e resistência” como alguns dos principais benefícios, porém, garante: dança para ser feliz.
“É se sentir viva. E a boa forma é consequência. Quando falam: ‘Ah, você dança para ficar com o corpo assim’. Não. Eu danço para ser feliz. E que ótimo que essa consequência vem de uma paixão”.
 
Outras atividades
Além da música, Scheila Carvalho e Sheila Mello apostam em outras modalidades para manter o físico sarado. A morena, por exemplo, acaba de ingressar no Crossfit  — e parece ter aprovado o esporte.
“Meu marido me impulsionou a ir [para o Crossfit] e eu estou adorando. É mais uma forma de ganhar resistência”, diz. “Além disso, faço musculação desde os meus 18 anos. Sempre gostei de fazer. O dia fica completamente outro quando a gente faz atividade física”.
A loira também é apaixonada por musculação, que, segundo ela, é uma maneira de “conseguir regular o excesso de energia que tem”. Enquanto muita gente encara a malhação como um sacrifício, Sheila garante que, para ela, é um prazer.
“Quando eu malho, eu vejo as pessoas falando de uma maneira negativa: ‘Nossa, que sofrimento ter de malhar’. Eu faço dança todos os dias, mas o ato de ir para a academia me dá uma sensação muito gostosa. Porque, além de eu cuidar do meu corpo, eu sei que milhares de outras coisas boas vêm junto”.
Você pode gostar também